21 de nov de 2008

Brasil: um país de classe média segundo Economist

Na edição de 12/09/2008, a revista britânica The Economist destaca o crescimento da classe média no Brasil, que hoje ultrapassa metade da população.
“O Brasil, antes notório por seus extremos, é agora um país de classe média”, diz a reportagem, que cita dados da Fundação Getulio Vargas.“Esta escalada social é vista, principalmente, nos centros urbanos do país, revertendo duas décadas de estagnação econômica iniciada nos anos 80.”Citando Marcelo Neri, da FGV, a revista aponta duas principais razões para o crescimento da classe média: a melhora no nível de educação, com os alunos permanecendo nas escolas por mais tempo do que no início dos anos 90, e a migração de empregos do mercado informal para a economia formal.“O ritmo da criação de empregos formais está se acelerando, com 40% mais empregos criados nos 12 meses até julho do que no mesmo período do ano passado, o que, em si mesmo, é um recorde”, afirma a Economist.“Junto com a transferência de renda para famílias pobres, isso ajuda a explicar o fenômeno - o que não ocorre com o desenvolvimento econômico e social da Índia ou da China. Com o crescimento da classe média brasileira, a desigualdade diminuiu no país.”
Leia na íntegra
Fonte: The Economist via BBC Brasil

Um comentário:

  1. Essas notícias alimentam a nossa esperança de ver um dia um país menos desigual.
    Um país rico com milhões de pobres e miseráveis certamente estará fadado ao caos.
    Acho que o Brasil ainda pode escrever uma história diferente.

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)