5 de set de 2013

Estudantes de Ciências Contábeis

Recebi um email de um estudante de Ciências Contábeis de um dos 5.565 municípios desse país, que acompanha o blog Ideias Contábeis [Que está bem paradinho, mas em breve estará mais ativo], com a seguinte dúvida:

dentro da área contabilidade, não de outros cursos, mas das Ciências Contábeis que é o curso que estudo, existe muita vantagem competitiva da parte de quem se forma em instituições de muito reconhecimento no mercado, sobre aos alunos que se formam em instituições menos conhecidas?”

Dirijo a minha opinião não apenas ao estudante que me enviou o email, mas a quem tiver dúvida a esse respeito.
Eu estudei em uma instituição de ensino superior pública, uma das estaduais da Bahia, onde vivi experiências que foram muito importantes para a minha formação: a Universidade Estadual de Feira de Santana.
A profissional que sou hoje é resultado dos cinco anos de graduação na UEFS? É sim, mas é muito mais resultado daquilo que era meu objetivo quando optei por cursar Ciências Contábeis e também pela postura que assumi durante a graduação.
Acredito que a formação universitária é influenciada por vários fatores, que abrangem desde a qualidade do corpo docente, a dedicação ao curso até a participação em atividades de pesquisa e extensão que são proporcionadas pela instituição e também a formação de base do estudante ao ingressar na universidade.
Acredito, dessa forma, que estudar em uma instituição pública ou privada não assegura nem determina uma formação boa ou ruim, mas a qualidade da instituição e seu compromisso com a educação são fatores que influenciam.
Durante a graduação convivi com muitos colegas que, desde os primeiros semestres até a conclusão do curso, não sabiam por que estavam cursando Ciências Contábeis, não tinham noção em que área pretendiam atuar. Eu imagino que isso contribui de forma mais relevante para a qualidade da formação.
Tem uma frase do Sêneca que sempre levo comigo: “Se o homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável”. Estudante sem objetivos, sem perspectivas profissionais, sem seriedade, sem dedicação ao curso, sem leitura está muito mais propenso a ser um mal profissional, em qualquer que seja a área.
Outra coisa que considero importante é o “experimentar” durante a graduação. Eu frequentei semanas acadêmicas e seminários da área do Direito, da Economia, da Administração, da Engenharia, da História, da Educação... Mas isso contribui para formar um Contador? Em minha opinião contribui sim e muito! Muito mais do que muitos imaginam.
Conheci muitos estudantes de Ciências Contábeis que não deixavam o pensamento da caixinha quadrada: “Só preciso aprender partidas dobradas, demonstrações contábeis, tributos e custos.” O estudante que pensa tão limitado, tende a ter uma vida profissional igualmente limitada.
O que diria a quem está no Curso de Ciências Contábeis agora: Estudem muito economia, matemática, estatística, filosofia, sociologia, ciência política, metodologia de pesquisa! Estudem muito! Leiam, falem, compreendam pelo menos inglês. Leiam jornais, acompanhem indicadores econômicos, publicações de empresas, pesquisem, busquem atividades de extensão, monitoria, iniciação científica...
Busquem se interessar pela comunidade acadêmica, os problemas do curso, as questões relevantes da universidade, para que quando forem profissionais não fiquem restritos à sua mesa, seu computador e suas planilhas! A empresa é mais que isso, a Contabilidade é muito mais que débitos, créditos e balancetes.
Lembram-se do Bussunda, do Casseta & Planeta? Um dia ele disse algo mais ou menos nesses termos: O diploma que recebemos na universidade é muito útil, se plastificar então, dá um bom jogo americano!!! As empresas e o mercado buscam muito mais que isso. A vida é muito mais que isso.

9 comentários:

  1. Muito bom Professora Cruz, nada como experiência, vivência e sabedoria para poder repassar aos interessados em nossa Ciência seus conhecimentos! Obrigado pela postagem!

    ResponderExcluir
  2. Os mesmos livros e artigos que um aluno estuda em uma IES X, o outro da Y também usa.

    Acho que depende muito mais do aluno. Eles devem correr atrás do prejuízo!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelos comentários, meninos!

    ResponderExcluir
  4. Ótimo artigo. Estudei em uma faculdade pouca reconhecida, e percebi que o mercado privilegia as pessoas que estudaram em universidades mais reconhecidas.
    Mas também percebi que os alunos fazem diferença, muitos não buscam aperfeiçoamento fora da universidade, dependem apenas do que é oferecido nesta.
    Quanto a leitura, é muito importante buscar conhecimento fora da area contábil. Lembro de um colega da graduação me falar que eu estava perdendo o meu tempo, porque estava lendo um livro de economia.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo o artigo. Concordo plenamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela participação. Isso nos incentiva a continuar partilhando um pouco das nossas experiências. Saudações contábeis

      Excluir
  6. Querida Claudia, quero lhe parabenizar pelo texto. Suas colocações foram muito interessantes e servirão para iluminar o caminho de muitos colegas estudantes desse nosso Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário e participação. Isso nos incentiva a continuar partilhando um pouco das nossas experiências. Saudações contábeis

      Excluir

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)