18 de out de 2012

Conceito de Trade-off


Uma das fases do Doutorado em Controladoria e Contabilidade na FEA/USP é o Seminário de Tese. Trata-se de uma disciplina que gera créditos, mas na prática, são encontros mensais, conduzidos por dois professores da área de Metodologia da Pesquisa, e com a presença de professores orientadores e alguns convidados, onde são discutidos  os projetos de tese. As sessões são abertas e em geral outros estudantes do programa também participam.
No último encontro do Seminário, um dos professores me questionou a razão da expressão “trade-off” no título do meu projeto de tese, dizendo-me: “Defina trade-off”.
Pensei, pensei... E a expressão saiu do meu projeto!! Ah, segue uma definição da bendita expressão!

Afinal, o que é Trade-Off?
Por Odelmo Diogo - Blog TRADE-OFF
A expressão “trade-off” é utilizada na literatura econômica para designar situações de escolha entre opções conflitantes. Assim, quando um governo, uma empresa ou uma dona de casa se depara com um cenário em que precisa decidir por uma das opções apresentadas  abrindo mão das demais, eles estão diante de um trade-off.
Nas Ciências Econômicas, um dos trade-offs mais citado é o caso da Curva de Phillips que implica na decisão do governo por maiores taxas de inflação ou maiores taxas de desemprego. Em miúdos, no curto prazo, a escolha do governo por uma taxa de desemprego menor implicaria numa taxa de inflação maior.
Ampliando o conceito de trade-off para a vida cotidiana das pessoas, é possível afirmar que a vida é uma sequencia de trade-offs. Todos os dias as pessoas encontram situações onde são obrigadas a realizar escolhas entre opções conflitantes. Escolher  entre trabalho ou lazer, morar na praia ou no sertão, consumir ou poupar, torcer Ceará ou Fortaleza, eis alguns exemplos cotidianos de trade-off.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)