23 de mai de 2012

Débitos e créditos espirituais


Que tal discutir débitos e créditos espirituais?

Recomendação de um seguidor do Twitter, o livro O Espírito do Dinheiro de Júlio Sampaio de Andrade aborda a relação de cada pessoa com o dinheiro numa perspectiva não convencional e bastante inovadora.
De acordo com Ronaud Pereira [Resenha], em resenha da obra, o livro passa uma visão holística da nossa relação com o dinheiro, não se atendo somente ao lado prático da nossa lida diária com o mesmo. Fala também do modo como o “invisível” influencia nossa vida financeira, partindo do raciocínio que antes somos nós que influenciamos o “mundo invisível” através dos nossos pensamentos e sensações. [...] O enfoque do livro está totalmente voltado para a espiritualidade como causa principal da nossa boa ou má “saúde” financeira, sendo bem direto e objetivo quanto a esse aspecto.
O autor fala sobre os “créditos espirituais” bem como dos “débitos espirituais” aos quais estamos sujeitos. Esses débitos ou créditos espirituais variam de acordo com nossas ações diárias. Ações positivas e construtivas, motivadas por pensamentos de mesmo tom, nos geram créditos espirituais. Da mesma forma, ações negativas de nossa parte, motivadas por pensamentos também negativos, nos geram débitos espirituais.
Embora esses créditos ou débitos não possam ser aritmeticamente medidos, são eles, segundo o autor, os motivadores daqueles fatos inesperados, chamados de sorte, nos quais ganhamos quantias razoáveis de dinheiro ou somos parte de fatos que nos levam a conseguir maiores ganhos em nossas atividades. E também são os débitos espirituais geradores dos fatos em nossa vida que nos tiram dinheiro de forma inesperada, tais como acidentes, doenças e outros infortúnios.
Alguns pontos do livro O Espírito do Dinheiro tratam bem na prática das ações que podemos tomar para melhorarmos nosso estado espiritual para conseguirmos os créditos espirituais, tais como o networking, como lidar com o desemprego, como cuidar de seu marketing pessoal. Também nesse enfoque prático são tratados temas como o orçamento, a poupança e as metas de vida.
Por outro lado, também esses aspectos de nossa vida financeira são tratados, junto a outros aspectos, sob o ponto de vista holístico, tentando esclarecer os motivos e razões espirituais para mantermos de terminados hábitos, como o das doações, por exemplo. Neste ponto, especificamente, o autor nos incita a fazermos nossas doações criteriosamente a projetos e instituições que promovam de fato, o progresso da humanidade, e não a manutenção de parte dela em condições desfavoráveis à evolução individual.[...]


O Ronaud Pereira também disponibilizou um sumário do livro O Espírito do Dinheiro, com os principais pontos abordados:

Parte 1 – Ganho do Dinheiro e Espiritualidade [Os dias de hoje, a crise e a atitude de cada um; Ser rico; A ação do invisível sobre o dinheiro; Ganhar dinheiro (somando débitos ou créditos espirituais); Tipos de heranças; Receber o que é devido]
Parte 2 – Trabalho e Espiritualidade [A natureza do trabalho e a origem do dinheiro; A missão do trabalho; Trabalho x emprego; Desenvolver a espiritualidade por meio do trabalho; Relacionar-se com pessoas e networking; Desemprego – fase de transição profissional; Busca de trabalho – plano de ação; Executando o plano de ação; O marketing pessoal]
Parte 3 – Uso do Dinheiro e Espiritualidade [O sentimento em relação ao dinheiro; Usar o dinheiro – como gerar créditos espirituais; Gastos bem aplicados – presente e futuro; O apego ao dinheiro; A “ordem” no trato do dinheiro; Dívidas proativas, dívidas de consumo e dívidas passivas; Doação bem aplicadas; Poupança e investimento; Metas concretas; O poder do 1%; O casal renda única; Perdas inesperadas; Aumentar a renda da família; A força da credibilidade.]
Parte 4 – Orçamento Pessoal e o Aspecto Ordem [Os três cenários de um orçamento; Fazer o seu orçamento; Lidar com as dívidas anteriores; Enfrentar o primeiro mês; Fazer o balanço patrimonial.]
Parte 5 – Os sinais e os sonhos [Ficar atento aos sinais; Cultivar os sonhos.]

Gilson Vieira [@gilsonM], o seguidor do Twitter,  preparou cinco dicas que representam agir com ordem no assunto dinheiro, a partir da leitura do livro O Espírito do Dinheiro:
1° Fazer um planejamento (por escrito) para utilização do dinheiro, definindo o que e quando deverá ser pago.
2° Evitar fazer dívidas desnecessárias.
3° Definir prioridade (já no planejamento).
4° Registrar seus gastos, a fim de identificar pontualmente em que foi usado o dinheiro.
5° Viver dentro de sua realidade.
Em contrapartida alguns exemplos de contrariar a ordem no uso do dinheiro:
1° Gastar além do que se ganha, ficando permanentemente com dívidas ou no cheque especial.
2° Não saber em que foi gasto o dinheiro.
3° Fazer dívidas desnecessárias, muitas vez por puro consumismo, sem o devido planejamento.
4° Desorganizar- se na gestão de cheques pre-datados, cartões e carnês de crediário.
5° Não estabelecer prioridade e metas para,utilização do dinheiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)