13 de abr de 2012

Declaração do IR: ajuda dos Universitários


Aos que gostariam de fazer a declaração do Imposto de Renda por conta própria ou com um auxílio de quem entende do assunto, pode pedir ajuda aos Universitários!

Universidades e sites oferecem serviço gratuito a contribuinte

Para quem tem dúvidas e não quer gastar dinheiro para prestar contas ao Leão, há os serviços gratuitos. Não é difícil encontrar, nas principais capitais do país, faculdades que oferecem o auxílio. Alunos de contabilidade, supervisionados por professores, aproveitam o período para aprender, enquanto prestam o serviço à comunidade.

Em geral é preciso agendar o atendimento e, em seguida, reunir os documentos necessários, como informes de rendimento e comprovantes de pagamento. "Tem gente que chega de mãos abanando para fazer a declaração", diz Kleber Marruaz, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA). No ano passado, os alunos da instituição orientaram 2,1 mil contribuintes - de quem tem renda baixa e sequer tem computador em casa a quem até possui recursos, mas não tem afinidade com o sistema da Receita.

Oito a dez alunos da UFBA atendem por turno no centro histórico de Salvador. Um caso comum por lá, segundo Marruaz, é de pessoas que têm até três empregos para complementar a renda. "Eles são tributados de forma muito violenta, então precisamos ver tudo o que pode ser abatido", diz o professor.

Em São Paulo é grande o número de faculdades que auxiliam na declaração. Muitas delas pedem alimentos não perecíveis, que serão doados para instituições de caridade. É o caso do Complexo Educacional FMU, que também impõe uma renda anual máxima, de R$ 80 mil. As dúvidas principais são sobre como declarar financiamentos de carros e imóveis, segundo Sérgio Conti, professor de Ciências Contábeis da FMU.

O atendimento na faculdade, que contemplou 300 contribuintes no ano passado, não inclui a última semana do prazo para declaração. "É uma forma de educar o contribuinte a se planejar. Imagine se por conta de uma falha no sistema deixamos de mandar a declaração dele", diz Conti. No fim do prazo a plataforma da Receita Federal fica congestionada, o que pode dificultar a transmissão da prestação de contas.

No caso da UFBA e da FMU o contribuinte já sai com o recibo da declaração. Já o Centro Universitário Carioca (Unicarioca), no Rio de Janeiro, apenas tira dúvidas. "A ideia é que ele aprenda para que da próxima vez possa fazer sozinho", diz Sérgio Vidal, coordenador do curso de Ciências Contábeis.

O formato de consultoria escolhido pela Unicarioca é também uma forma de se abster em problemas futuros com a declaração. As faculdades que auxiliam de forma mais direta o contribuinte em geral também buscam se proteger. "Nós solicitamos que o contribuinte assine um termo afirmando que as informações que nos apresentou sejam fidedignas, até para que a faculdade não seja responsabilizada lá na frente por falta de informação ou informação errada", diz Sérgio Conti, da FMU.

Fora das faculdades, outro serviço gratuito de auxílio à declaração é o da empresa DeclareCerto. Com cobrança pelo trabalho nos últimos dois anos, o portal recebeu um aporte financeiro do grupo IOB e passou a oferecer as ferramentas básicas sem custos. O internauta tem acesso a um fórum de dúvidas e também a um sistema em que responde a uma série de perguntas. O site gera o arquivo da declaração que deve ser enviado à Receita.

"O sistema da receita, apesar de fácil, não é orientado ao contribuinte, mas à legislação", afirma Mariana Spinelli, sócia do DeclareCerto. Na prática, o site traduz o sistema da Receita Federal. Em vez de perguntar quais são seus rendimentos tributáveis, por exemplo, começa questionando se o contribuinte tem carteira assinada ou empresa própria. O site faz simulações para mostrar quando vale a pena incluir cônjuge e filhos entre os dependentes.

A partir deste ano o DeclareCerto cobra serviços periféricos, como o atendimento a dúvidas por telefone. Nesse caso, as taxas partem de R$ 98. Entre as dúvidas mais comuns dos contribuintes, segundo a empresa, estão como declarar imóveis e veículos e quando vale a pena incluir os dependentes na declaração.

Fonte: Jornal Valor Econômico - 12/04/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)