19 de out de 2008

Uma Visão Panorâmica da Profissão Contábil

Uma Visão Panorâmica da Profissão Contábil

Autoria: Prof. Dr. José Caros Marion

Normalmente, se você pergunta aos alunos de primeiro ano do curso de Medicina, qual será sua especialização, não haverá hesitação: uns dizem ginecologia, outro pediatria, ortopedia e, assim, sucessivamente.
Da mesma forma, num primeiro ano de um curso de Direito, quase todos terão uma preferência: área civil, comercial, penal, internacional, etc.
Até mesmo os primeiros anistas de Administração já estão fazendo opção para Marketing, Recursos Humanos, Finanças, Produção, Comércio Exterior, Hotelaria etc.
Já nos cursos de Contabilidade raramente encontraremos alunos com posições bem definidas quanto à sua especialização. Já vi casos de até alunos de quinto ano estarem indecisos referentes a área específica que deverão estar investindo mais acentuadamente.
Ainda que seja muito importante uma visão generalista, é inadmissível se pensar em alguém que não esteja concentrando esforços na especialização de uma área contábil.
Muitas vezes os professores que desenvolvem muito bem o seu conteúdo programático omite informações esclarecedoras sobre perspectivas profissionais, principalmente sobre a sua própria especialização que, normalmente, está relacionada com a matéria que leciona.
De minha parte, tenho trabalhado insistentemente com os meus alunos neste aspecto. Tenho motivado a cada um pesquisar e ter contato com profissionais especializados, com palestristas, literaturas, artigos, reportagens em jornais, etc., para estruturar um banco de dados que alicercem sua opção.
Tenho também, a despeito de minha agenda sobrecarregada, ministrado muitas palestras em diversas instituições com o objetivo de abordar este tema.
Só no segundo semestre de 98 já estive em muitos lugares falando sobre “As Perspectivas da Profissão Contábil”, tais como: UNIRP (São José do Rio Preto – SP), FACCAR (Rolândia – PR), Universidade Estadual de Ponta Grossa – PR, Convenção Estadual dos Contabilistas do Espírito Santo em Guarapari, UNIPAR (Umuarama – PR), UERJ (Rio de Janeiro), Encontro de Delegados do CRC-MG – Belo Horizonte, UNOPAR (Londrina – PR), Universidade de Caxias do Sul – RS, Faculdades de Gurupi (Tocantins), Faculdades de Pato Branco – PR, PUC (Poços de Caldas – MG) etc., além de ter tratado parcialmente na apresentação de trabalho na IV Convenção dos Contabilistas do Estado de Pernambuco em Recife.
Este assunto, dado a sua importância, já venho tratando desde 1983 no prefácio do meu livro Contabilidade Empresarial – Editora Atlas S.A.
Em 1998 preparei um artigo com o título “Preparando-se para a Profissão do Futuro”, publicado pela Contabilidade Vista e Revista (MG), Revista do CRC-PR etc., abrindo o leque e comentando cada especialização contábil com sua perspectiva na virada do milênio.
Particularmente sou muito grato a Deus por ter me dado sabedoria para optar pela profissão contábil. Muito mais, por me dar, antes mesmo de ter iniciado o curso superior de Contabilidade, conhecimento de uma especialização contábil: Analista Financeiro. No meu mestrado dei ênfase à Contabilidade Rural intensificado este estudo no doutorado, Livre-Docência e Pós doutorado em Kansas University.
Todavia, a especialização que mais me identifiquei e que quero terminar a minha vida nela é a docência e pesquisa voltada principalmente para metodologia de ensino da Contabilidade. E na qualidade de docente e pesquisador sinto ter a responsabilidade de contribuir principalmente neste tema que está sendo abordado.
No segundo capítulo do livro Introdução à Teoria da Contabilidade- “O profissional Contábil e a Profissão” – que estou escrevendo junto com o Professor Sérgio de Iudícibus, esbocei um quadro que dê uma visão panorâmica das especializações contábeis. Tenho certeza que em muito ele pode ser aperfeiçoado (e espero suas sugestões). Entretanto, creio ser uma boa “ferramenta” para, principalmente alunos de Ciências Contábeis, estarem meditando sobre, quem sabe, sua maior decisão neste momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)