1 de set de 2011

Conduta pouco ética

Mesmo não sendo proprietária da empresa, Kirsty Lane desrespeitou o princípio da Entidade, o qual estabelece que as despesas pessoais dos sócios não devem ser confundidas com as despesas da empresa!!! Quem dera as despesas pessoais de funcionários!!

Noiva rouba empresa onde trabalha para bancar casamento luxuoso, mas é descoberta ao convidar o chefe
Texto disponível no site do Jornal Extra (RJ)
O casamento de Kirsty Lane incluiu tudo o que uma noiva sonha e um pouco mais: duas bandas, open bar, fogos de artifício, mágicos, pintura de rosto e máscaras de pluma para todos os convidados. Mas para pagar as despesas da festa, a inglesa de 29 anos precisou recorrer a Peter Sutton, o chefe - mas sem que ele soubesse. Ela roubou 168 mil libras, o que equivale a um pouco mais de 435 mil reais, da empresa onde trabalhava. E só foi descoberta porque resolveu convidar Sutton para a suntuosa cerimônia.
Lane trabalhava na contabilidade de uma empresa em Lancashire, na Inglaterra, há quatro anos. Ela conseguiu desviar o valor falsificando as notas fiscais da companhia. Segundo reportagem do jornal “Daily Mail”, Sutton disse que o roubo da noiva resultou na demissão de duas pessoas e quase arruinou a companhia. Ele disse que só começou a desconfiar das más intenções da mulher depois da festa. “O casamento foi o mais luxuoso que eu já vi. Eu confiava nela e, implicitamente, foi assim que ela nos retribuiu”, contou ele.
Dias depois do casamento, enquando Kirsty estava curtindo alguns dias de folga, houve um problema de rotina com as contas da empresa. Foi aí que o chefe resolveu analisar melhor as contas e juntou as peças. A noiva estava fazendo a poupança para o mega casamento, às custas da empresa, há dois anos. E Sutton precisou de dois meses para avaliar a verdadeira extensão do roubo. A mulher foi presa em casa, enquanto se preparava para a esperada lua de mel no México.
Além dos gastos com o casamento, a noiva adquiriu uma luxuosa capa para o Ipad, repleta de pedras preciosas. Na Corte dos Magistrados de Leyland, Kirsty admitiu a culpa em 10 acusações de fraude, em um total de 122.

Obrigada ao amigo Angelino Fernandes pelo envio da matéria, segundo ele "Só entendendo de Contabilidade para não ser passado para trás."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)