15 de set de 2011

Distribuição de Renda nos Municípios brasileiros

Municípios brasileiros com melhor e pior distribuição de renda

A Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa – ABEP desenvolveu o Critério de Classificação Econômica Brasil (CCEB) que estima o poder de compra das famílias, classificando-as em classes econômicas: A1, A2, B1, B2, C1, C2, D e E.
Segundo a classificação as classes são:
A1 a renda familiar é de R$ 14.366,00;
A2 de R$ 8.099,00;
B1 de R$ 4.558,00;
B2 de R$ 2.327,00;
C1 de R$ 1.391,00;
C2 de R$ 933,00;
D de R$ 618,00;
E de R$ 403,00 (dados mais atualizados de 2008 ainda válidos para 2010).
A pesquisa apontou que os 10 municípios com melhor desempenho na distribuição de
renda familiar são:
São Caetano do Sul (SP) Índice A/E:1,35 - Posição:1º;
Monte Belo do Sul (RS) Índice A/E:1,31 - Posição:2º;
Fernando de Noronha (PE) Índice A/E:1,29 - Posição:3º;
Santos (SP) Índice A/E:1,16 - Posição:4º;
Nova Pádua (RS) Índice A/E:1,14 - Posição:5º;
Vinhedo (SP) Índice A/E:1,08 - Posição:6º;
Niterói (RJ) Índice A/E:1,03 - Posição:7º;
Florianópolis (SC) Índice A/E:1,02 - Posição:8º;
ÁGUAS DE São Pedro (SP) Índice A/E:1,02 - Posição:9º;
Carlos Barbosa (RS) Índice A/E:0,94 - Posição:10º.
Os 10 municípios brasileiros com pior desempenho foram:
Morro Cabeça no Tempo (PI) Índice A/E:0,05 - Posição:5556º;
Morro do Chapéu do Piauí (PI) Índice A/E:0,05 - Posição:5557º;
Serrano do Maranhão (MA) Índice A/E:0,05 - Posição:5558º;
Nova Santa Rita (PI) Índice A/E:0,05 - Posição:5559º;
Acauã (PI) Índice A/E:0,04 - Posição:5560º;
João Dias (RN) Índice A/E:0,04 - Posição:5561º;
São Miguel do Fidalgo (PI) Índice A/E:0,04 - Posição:5562º;
Centro do Guilherme (MA) Índice A/E:0,04 - Posição:5563º;
Damião (PB) Índice A/E:0,04 - Posição:5564º;
Manari (PE) Índice A/E:0,04) - Posição:5565º.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)