13 de fev de 2010

Os livros da década (2000-2009)

A década em livros

Dubner e Levitt nos mostraram “o lado oculto do que nos afeta”, Friedman pintou um mundo plano, psicólogos sacudiram a economia. Esta é nossa lista das obras dos “00”

Por Alexandre Teixeira

Para os americanos, foi a década perdida. Um decênio que começou com o 11 de setembro (de 2001) e terminou com a Grande Recessão (de 2008/2009), levando a revista Time a chamá-lo de “A Pior Década da História”. Compreende-se o exagero. Essa é uma visão americana da história, e os Estados Unidos sofreram dois crashes financeiros, ataques terroristas que os fizeram questionar sua segurança dentro de casa e guerras sem fim em países distantes. Com uma dose de distanciamento, os anos 00 ressurgem cheios de som e fúria. iPod, iPhone, BlackBerry, YouTube, Facebook, Twitter, Wikipédia, Kindle e outras maravilhas tecnológicas mudaram o modo como ouvimos música, nos comunicamos, vemos TV, lemos e, sobretudo, nos relacionamos. Muito do frenesi pop tecnológico está retratado nos livros que marcaram a década. Na literatura, sim. Mas sobretudo no conjunto de temas (economia, finanças, gestão, ideias, inovação e negócios) que dá forma ao universo Época NEGÓCIOS.

Diante do desafio de contar a década por seus livros, apelamos para reforços de peso. Blogueiro e colunista da revista, o consultor Clemente Nobrega reuniu seus talentos de escritor, físico e rato de bibliotecas para compilar uma lista que mostra, título por título, a evolução do pensamento inovador no mundo dos negócios na década (a íntegra está em www.epocanegocios.com.br). Às indicações de Clemente e aos preferidos da redação, adicionamos sugestões de cabeças pensantes do mundo dos negócios e da economia.

Condenada à polêmica como toda lista do gênero que se preze, esta compilação é um convite a relembrar leituras instigantes (O Mundo É Plano, Freakonomics, A Cauda Longa...) e descobrir livros que frequentaram as cabeceiras de leitores muito especiais como Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira – o trio de acionistas brasileiros da Anheuser-Busch InBev –, além de Luiz Seabra, da Natura, economistas como Claudio Haddad e Mailson da Nóbrega e muitos outros.

Para Clemente Nobrega, a grande ideia que começa a tomar corpo na década que se encerrou – e vem sendo refletida na literatura – é a seguinte: a capacidade de digerir grandes quantidades de dados e fazer previsões baseadas nessa digestão, sem teoria por trás, tende a invadir o mundo dos negócios em várias frentes.

Cada vez mais o que importa é buscar não a teoria para compreender, mas a ferramenta para fazer. No passado, isso era impossível. Hoje, graças à tecnologia, é realidade. “Com meu tema principal, inovação, vai acontecer exatamente isso. Ela será codificada em regras e ferramentas exatamente como ocorreu com a qualidade total”, afirma Clemente. “Com isso, se tornará popular e deixará de ser coisa para gênios.”

Veja a seguir a relação dos livros por ano...

2000

O PONTO DA VIRADA, de Malcolm Gladwell (Sextante).

Jogando Pra Valer, de Michael Schrage (Campus)

2001

EMPRESAS FEITAS PARA VENCER, de Jim Collins (Campus)

2002

A REINVENÇÃO DO BAZAR, de John McMillan (Jorge Zahar)

O Que é Gerenciar e Administrar, de Joan Magretta (Campus)

2003

SALVANDO O CAPITALISMO DOS CAPITALISTAS, de Raghuram Rajam e Luigi Zingales (Campus)

Envolvimento Total, de Jim Loehr e Tony Schwartz (Campus)

2004

TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES, de John Roberts (Campus)

Why Globalization Works, de Martin Wolf (“Por que a globalização funciona”), inédito no Brasil.

2005

O MUNDO É PLANO, de Thomas Friedman (Objetiva) ** O LIVRO DA DÉCADA**

Freakonomics, de Steven Levitt e Stephen Dubner (Campus)

Como Fazer uma Empresa Dar Certo num País Incerto (Campus)

2006

A CAUDA LONGA, de Chris Anderson (Campus)

Wikinomics, de Don Tapscott e Anthony Williams (Nova Fronteira)

2007

FAZENDO O QUE IMPORTA, de James Kilts (Cultrix)

God and Gold, de Walter R. Mead (“Deus e ouro”), inédito no Brasil

2008

NUDGE: O EMPURRÃO PARA A ESCOLHA CERTA, de Richard Thaler e Cass Sunstein (Campus)

Innovation to the Core, de Peter Skarzynski e Rowan Gibson (“Inovação no coração”), inédito no Brasil.

2009

FREE: GRÁTIS – O FUTURO DOS PREÇOS, de Chris Anderson (Campus)

SuperFreakonomics, de Steven Levitt e S. Dubner (Campus)

Qual É a Tua Obra?, de Mario Sergio Cortella (Vozes)

O Verdadeiro Poder, de Vicente Falconi (INDG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)