25 de mai de 2011

Questões sobre Passivos, Juros sobre o Capital Próprio e Provisões

Pessoal, apresento a seguir algumas questõs dos temas discutidos essa semana na disciplina Contabilidade Societária. Contribuições e dúvidas podem ser postados como comentários para discutirmos.

As questões a seguir sobre Passivos, Juros sobre o Capital Próprio e Provisões devem ser respondidas com base no CPC 25 - Provisões, Passivos Contingentes e Ativos Contingentes e no Manual de Contabilidade Societária (FIPECAFI), além da Lei nº 6.404/1976 e atualizações:

1) Qual a diferença entre passivo, provisão e contingência?
2) O que o pronunciamento CPC 25 orienta em relação a passivos ambientais?
3) Por que as demonstrações contábeis de uma entidade não devem reconhecer despesas que necessitam ser incorridas para operar no futuro?
4) Quais são os requisitos recomendados no CPC 25 para reconhecimento de um passivo?
5) Em que circunstâncias uma entidade deve reconhecer passivos e ativos contingentes?
6) Conforme o CPC 8, qual o procedimento contábil para o tratamento dos
custos de transação quando da captação de recursos de terceiros via
emissão de debêntures?
7) Como determinar se a mensuração é suficientemente confiável para fins
de reconhecimento de um passivo?
8) Como contabilizar o prêmio na emissão de debêntures?

4 comentários:

  1. 1) Qual a diferença entre passivo, provisão e contingência?

    PASSIVO - É uma obrigação presente, derivada de eventos passados, cuja liquidação se espera que resulte em saída de recursos da entidade capazes de gerar benefícios econômicos.
    PROVISÃO- É o passivo de prazo ou valor incerto
    PASSIVO CONTINGENTE-
    1 - Uma obrigação possível que resulta de eventos passados, cuja existência será confirmada pela ocorrência ou não de um ou mais eventos futuros e incertos não totalmente sob controle da entidade
    2 - Uma obrigação presente que resulta de eventos passados, mas que não é reconhecida porque:
    a) não é provável que uma saída de recursos econômicos seja exigida para liquidar a obrigação.
    b) o valor da obrigação não pode ser mensurado com suficiente confiabilidade,

    ResponderExcluir
  2. 4) Quais são os requisitos recomendados no CPC 25 para reconhecimento de um passivo?
    Os requisitos são:
    -->ter uma obrigação presente derivada de eventos passados
    --->Na liquidação se espera que resulte em saída de recursos da entidade capazes de gerar benefícios ecônomicos

    ResponderExcluir
  3. 5) Em que circunstâncias uma entidade deve reconhecer passivos e ativos contingentes?

    ATIVOS CONTINGENTES -- deve ser reconhecido quando a realização do ganho for praticamente certa
    PASSIVOS CONTINGENTES --A entidade não deve reconhecer um passivo contingente.

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de saber a resposta da pergunta:
    2) O que o pronunciamento CPC 25 orienta em relação a passivos ambientais?

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)