28 de jan de 2011

Atividade criminosa de Contador

Essa matéria deve acionar de imediato o Conselho Regional de Contabilidade no qual o profissional de Contabilidade é registrado, se é que o mesmo possui registro profissional.

Casal aplicou um golpe milionário


Um contador e a sua cúmplice usavam documentos falsos para obter certificação digital de empresários paulistas

Um golpe milionário aplicado contra empresários paulistas a partir de uma ação criminosa em Fortaleza foi descoberto, ontem (27/01/2011), pela Polícia Civil do Ceará através da sua Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). Um casal foi preso, em flagrante, no Centro da Capital após obter novos documentos com o intuito de repetir a fraude. Somente de dois empresários paulistanos foram subtraídos cerca de R$ 2 milhões em saques, empréstimos e transferências bancárias.

A prisão do contador Cláudio Bezerra Sobrinho foi efetuada pela Delegacia de Defraudações e Falsificações. Antes, policiais da Especializada detiveram a cearense Etelvina Sales Figueiredo que usava documentos falsos em nome de uma empresária estabelecida em Ribeirão Preto, Interior de São Paulo, para obter junto ao Serasa a certificação digital da futura vítima da fraude.

Golpe
Segundo Linhares, a própria Serasa havia comunicado o fato à Polícia depois que os empresários paulistas (identidades preservadas) descobriram o ´rombo´ em suas contas correntes. O rastreamento permitiu detectar que as certificações digitais haviam sido obtidas no Ceará.
Ontem, a dupla tentou aplicar o terceiro golpe. Desta vez, usando documentos falsificados em nome da empresária de Ribeirão Preto, Etelvina Sales Figueiredo dirigiu-se ao Serasa, no Centro, e, no momento em que apresentava o RG falso, recebeu voz de prisão. Rapidamente ela informou onde o seu cúmplice a esperava. O delegado Jaime prendeu Cláudio Sobrinho e o levou para a DDF.
A investigação em torno do casal vai ser aprofundada com o rastreamento de suas contas bancárias, bem como, das contas de 'laranjas'. O casal foi autuado em flagrante por crimes de falsificação de documento público, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Conta
2 milhões de reais acabaram sendo desviados das contas bancárias das vítimas pelos acusados detidos em Fortaleza.

Fonte: Diário do Nordeste, em 28/01/2011, texto de Fernando Ribeiro

Um comentário:

  1. O sistema CFC/CRC deve se pronunciar tempestivamente banindo este cidadão da nossa classe, é papel do Sitema mostrar que isso não faz parte do nosso meio !

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para as discussões de ideias contábeis e outras mais. Obrigada!

“... nunca [...] plenamente maduro, nem nas idéias nem no estilo, mas sempre verde, incompleto, experimental.” (Gilberto Freire)